RSS Feed

Monthly Archives: Julho 2011

ECOCHIC DAY

Amanhã vai rolar em São Paulo uma iniciativa que achei bem interessante: o ECOCHIC DAY.

Mas o que é isto? Calma, vou explicar:

O Projeto Ecochic Day é um evento de vanguarda com caráter socioambiental exclusivo no mundo, e foi criado para identificar e divulgar os talentos brasileiros, que tem como conceito profissional/artístico a cultura sustentável.
Foi idealizado e será realizado pela equipe Mônica Horta – idéias e soluções sustentáveis, e acontecerá nessa primeira fase no ano de 2011, uma vez ao mês durante seis meses, sendo sempre aos sábados, em um local estratégico da cidade de São Paulo.

O grande mote deste trabalho é reforçar a fundamental importância do ecodesign, e fomentar a sua adesão nas criações contemporâneas, fazendo com que o tema sustentabilidade esteja cada vez mais presente do cotidiano das pessoas. Fomentar a economia criativa também é o objetivo do Projeto Ecochic Day, que é um grande movimento em prol da vida.

Pra quem estiver em São Paulo e quiser participar, segue abaixo mais informações da primeira edição.

Onde:  Conjunto Nacional, na Avenida Paulista esquina com a Rua Augusta, em São Paulo.
Que Horas: À partir das 14h30, o público já pode conferir nossa programação sustentável,  começando pelo lançamento do concurso Do It Youself, no qual 10 designers convidados customizarão uma caixa de fósforo, mostrando do que um criador consciente é capaz.

Às 16h, rola o flash mob “Ecochic-se”: o público do evento que estiver com uma peça feita por ele mesmo, participará de uma sessão fotográfica instantânea com o fotógrafo Gleison Paulino, que na ocasião, estará lançando sua exposição “Somniun Lunae”, na Livaria Cultura, onde ficará até o dia 18 de Agosto.

Interessante! Quem for, por favor, conte depois aqui para nós se o evento é tão legal quanto parece.

Bom final de semana!

Carol Vermelho

Anúncios

Educação para consumo sustentável em casa itinerante

Há alguns dias atrás conheci o projeto  “Uma Casa, Mil Olhares” pelo blog SSE# e fiquei encantada com a iniciativa. A exposição mostra o estilo de vida da família brasileira entre as décadas de 50 e 90 comparado ao consumo familiar atual. A exposição faz parte do programa  “Uma Vida Sustentável”, criado pela Kraft Foods Brasil, em parceria com a Evoluir – Educação e Sustentabilidade e o Instituto Akatu.

Pensei na época que gostaria muito de levar minhas filhas para esta experiência, pois acredito que as crianças de hoje, se bem educadas no quesito vida sustentável, poderão nos ajudar a salvar nosso planeta da distruição que já causamos a ele. Mas a informação que obtive é que o projeto só estava sendo realizado em shoppings da região de São Paulo.

Hoje descobri que o projeto virá para Curitiba no próximo mês entre os dias 06 e 21/08 no Shopping Estação. Fiquei tão feliz com a notícia que resolvi divulgar.

Fernando Monteiro, sócio-diretor da Evoluir, explica que ter um shopping como local da exposição incentiva a reflexão no próprio local de consumo. “O objetivo é mesmo procurar fazer com que as pessoas reflitam sobre seus hábitos de consumo no momento em que eles ocorrem. Mas queremos mostrar que não se trata de radicalizar nem para um lado (consumismo fora de controle) nem para o outro (abstenção total), mas sim refletir sobre qual é a real motivação quando se decide por comprar algum produto”, explica Fernando.

O público-alvo da casa itinerante são principalmente as famílias acompanhadas de crianças entre 5 e 12 anos. “Desejamos através da exposição levar as pessoas a observarem seus hábitos e atitudes, refletir sobre comportamentos alternativos e desenvolver a vontade, o conhecimento e as habilidades necessárias para mudar”, diz.

A casa é dividida em seis ambientes diferentes que abordam temas específicos.
– Sala: consumo de energia em eletro-eletrônicos, relações familiares;
– Quarto: moda, consumo, vestuário, sonhos;
– Cozinha: alimentação, reaproveitamento de alimentos e reciclagem;
– Banheiro: uso racional da água e solidariedade;
– Quintal: relação entre o homem e a natureza, reciclagem;
– Rua: convivência no espaço público.

Fica a dica: Programa legal para fazer com os filhos no final de semana, não acham?

Abraços

Carol Vermelho

Design em papel viram lindas Bio Jóias

Conforme prometido desde nossa visita ao Salão de Negócio do Fashion Rio, o Rio à Porter, vamos contar um pouco mais sobra a JS Design Sustentável.

A marca foi criada por Julieta Sandoval (abaixo na foto,) uma argentina que mora no Brasil, há mais de 10 anos.

Simpática e sorridente, Julieta nos recepcionou no stand da marca e foi amor a primeira vista, tanto por Julieta quanto por sua obra de arte, que é como classifico sua linha de acessórios.

Formada em Ilustração e Design de Moda, com um Mestrado realizado  através de uma bolsa de estudos outorgado pelo Instituto Italiano Arte, Moda e Design de Florença, Itália,  Julieta revela que a  Js Design Sustentável nasceu da fusão de duas paixões, o feito a mão e a filosofia baseada na sustentabilidade.

Sua procura por técnicas de reciclagem e aproveitamento de materiais resultou no mix do canudo de papel de cestaria e o rolinho de papel. Criando finalmente uma linha de eco jóias realizada em sua totalidade de papel de revistas, panfletos e jornais tirados das ruas, e uma segunda linha feita de papel pardo sem tratamentos químicos pintados a mão.

Hoje a marca já desenvolve 5 linhas de produtos diferenciados:

Básico

Copacabana

Tie Dye

Klimt

Chrame

Um projeto em continuo, em constante crescimento, inovando no desenvolvimento criativo e nos materiais que utiliza,
tentando passar uma consciência ecológica, voltando a materiais mais puros e naturais, sem perder a beleza, estilo e sofisticação. Isto sim é Eco Chic!

Até,

Carol Vermelho

Confira os produtos que já estão à venda na EcoChoice Bio Jóias

Esmaltes Atóxicos! Oba, eles já existem!

Na semana passada li no blog MODAMODAMODA da Julia Salgueiro que uma marca americana Priti NYC lançou uma linha de esmaltes perfeita:  Esmaltes ecológicos, não tóxicos, com ingredientes orgânicos, sem cheiro ou cores sintéticas.

Com frasco 100% biodegradáveis, os esmaltes Priti tem várias linhas e uma variedade de cores que não fica atrás de nenhuma linha “comum”! Grandes grifes já adotaram cores da Priti nos seus desfiles incluindo o brasileiro Carlos Miele.

A ideia de Kim D´Amato sugiu em 2005 durante sua gravidez quando ela decidiu fazer um esforço por uma atitude mais consciente em relação ao planeta e passou a buscar produtos orgânicos e que não fizessem mal à saúde.

Pena que ainda não tem a venda no Brasil, eu seria uma consumidora com certeza, pois estou sempre procurando produtos de beleza que agridam menos o meio ambiente e a mim mesmo!

Agora a melhor notícia para a “Mamãe Carol” eu descobri hoje: a marca Piggy Paint de esmaltes para crianças!

Non-Toxic-Nail-Polish

Tenho duas filhas e elas adoram pintar as unhas, mas sempre fiquei com drama de consciência em deixá-las brincar com esmaltes, pois como sabemos os esmaltes é um dos produtos de beleza mais tóxicos que existe.

 

Agora vou poder deixar as minhas pequenas brincarem sem maiores problemas, até porque a loja virtual da marca entrega no Brasil. Boa notícia!

Se arrumar é bom, mas fazer isto com consciência ambiental e ainda dar bom exemplo para os filhos, NÃO TEM PREÇO!!!

Até mais

Carol Vermelho

 

 

Concurso Estampa Mr. Fly

Recentemente começamos a nossa parceria com a marca Mr. Fly, uma marca séria que está investindo na moda sustentável. Os produtos da Mr. Fly são de extrema qualidade e com um capricho em todos os seus materiais, embalagens, tags, etc. que vi em poucas empresas até hoje.

Eles estão com uma iniciativa legal que resolvi compartilhar – um concurso de estampas para sua nova coleção. O ganhador receberá R$1.000 (hum mil reias) em produtos da marca. Legal né? Quer participar? Ainda dá tempo!

Veja as regras abaixo e coloque a sua criatividade para funcionar!

 

 ]

Abraços,

 

Carol Vermelho

Moda sustentável é o novo luxo do momento

Só assiti hoje ao programa de moda sustentável que o Globo News apresentou na semana passada e minha reação não poderia ter sido outra senão felicidade suprema.

Há mais de um ano pesquiso sobre esta tendência de mercado, mas até então não tinha visto nenhuma reportagem tão completa e  séria sobre o assunto.

Para quem, assim como eu, curte o assunto mas não está familiarizado com todas as possibilidades de tecidos e com os ganhos que se tem adquirindo uma peça feita de maneira sustentável, vale assistir o programa na íntegra, são apenas 21 minutos e muita informação relevante.

Só faltou uma coisa no vídeo, dar dicas para as pessoas onde adquirir estes produtos, então aproveito para complementar o vídeo e já fazer o meu merchadising. Em nossa loja virtual – EcoChoice – temos produtos confeccionados com as tecnologias apresentadas no programa, vale a pena conferir.

http://g1.globo.com/videos/globo-news/globo-news-especial/v/moda-sustentavel-e-o-novo-luxo-do-momento/1553758/

Carol Vermelho

ps.: tentei colocar o vídeo, mas os vídeos da Globo são tão complicados para inserir no wordpress que desisti!

Solução inteira para meia preocupação

ARGHHHHHHHHHH!!!

Tem coisa mais irritante do que meia fina furada? Claro que a chance de isso acontecer é diretamente proporcional à importância do evento ao qual estamos indo e à quantidade de meias sobressalentes que temos em casa, não? Portanto, recomendo que em dias de casamento, formatura, entrega de prêmios, entrevista de emprego comemoração de dia dos namorados tenha-se várias meias na reserva porque senão, no último minuto antes de sair de casa, ou no primeiro depois de chegar ao evento, você vai olhar para as pernas, ver um fio corrido e… nem vou repetir o grito do começo, vocês já me entenderam.

Nas várias vezes em que isso aconteceu comigo fiquei duplamente incomodada! Resolver a questão da meia furada já era complicada, mas para isso os estilistas deram um jeito: a moda simplesmente abandonou as meias finas! Perfeito! Mas minha filha começou a fazer balé e eu me vi às voltas com meu segundo dilema: o que fazer com as meias que furam? Jogar no lixo? Antigamente se faziam bolas de meia, mas a garotada já não curte mais esse tipo de brinquedo, não? Confesso que eu ficava realmente preocupada com mais esse dejeto levando anos pra sumir da face da terra assim como das minhas lembranças e fui guardando as meias que a minha filha rasgava praticamente a cada semana! Sabia que um dia encontraria destino para elas, mesmo furadas.

Aí, no mês passado, procurando na internet uma solução caseira para aquele cheiro horrível que fica nos armários pouco usados encontrei uma dica genial (infelizmente não vou poder dar os créditos porque acabei não salvando o endereço!). Sabem o que fazer para evitar traças dentro dos armários? Sachês com meias velhas! Não, os bichos não morrem com o chulé, mas com o que colocamos dentro dos sachês.

Imediatamente imaginei o presente de Natal da galera aqui de casa pra esse ano! Todos os anos eu procuro fazer alguma coisa de presente, mas isso será assunto para um outro post!

O site sugeria que os sachês fossem preenchidos com serragem de cedro, aparentemente um veneno para as traças, e eu tentei de todos os jeitos achar esse tipo de sobra para meu presente ficar perfeito em todos os sentidos. Mas não consegui! Se alguém souber de lugar onde eu possa encontrar serragem de cedro, por favor, me avise. Como esse tipo de recheio não existe por aqui, decidi fazer os sachês com pimenta-do-reino e cravo-da-índia, duas substâncias que da mesma forma, perturbam o sensível olfato desses bichinhos nojentos.

Aqui vai o passo a passo de como fazer esses sachês, embora ele seja quase dispensável…

 

Você vai precisar de:

                – Meias finas

– Tesoura, linha e agulha

– Fita número zero

– Pimenta-do-reino e cravo-da-índia

  1. Corte as pernas das meias a intervalos de 5cm aproximadamente.
  2. Corte pedaços de fita com 10cm de comprimento.
  3. Faça um alinhavo em uma das extremidades da meia, puxe bem o fio e arremate.
  4. Encha com a pimenta e o cravo misturados.
  5. Dê um nó na outra extremidade fazendo uma trouxinha.
  6. Passe a fita sobre o nó e dê outro nó para terminar a trouxinha.
  7. Faça um nó com as pontas da fita para que o sachê possa ser pendurado num cabide, por exemplo.

Simples assim!

Quando imaginei os sachês, pensei ao mesmo tempo numa forma de reaproveitar mais um resíduo doméstico: vidros de conserva! Então, fiz os sachês, coloquei todos dentro de um vidro de conserva, usei uma tesoura de picotar e cortei um círculo em tecido (também restos que ficam dos trabalhos em patchwork que faço), mais um pedaço de fita e aí está o resultado final:

Pronto! Meus presentes de fim de ano já não serão mais uma surpresa… Tudo bem. Acho que irmãs, mãe, sogra, cunhadas, primas, amigas, etc. já não acreditavam mais em Papai Noel mesmo. Pelo menos agora mudei o ARGHHH! das minhas meias desfiadas para um AHHHH! de satisfação.

Até a próxima!

Juliana Vermelho Martins

%d bloggers like this: