RSS Feed

Tag Archives: sustentabilidade

Dia Mundial sem Carro – 22 de setembro

Dia Mundial sem Carro é comemorado nesta quinta-feira (22). Além de ser uma data para a reflexão, também é um dia em que as pessoas têm a oportunidade de inovar e testar novas experiências de locomoção, deixando os carros na garagem.  As alternativas são diversas e podem variar de acordo com a cidade e a realidade urbana em que a pessoa está inserida. Mesmo assim, separamos 06 dicas de meios de transporte que podem ser usados neste dia.

1. Bicicleta: A locomoção sobre duas rodas é totalmente positiva, pois é rápida, limpa e ainda proporciona benefícios à saúde de quem pedala. Em cidades pequenas as “magrelas” já fazem parte da rotina de transporte da maior parte dos moradores, mas nos centros urbanos ela ainda conquista seu espaço de maneira tímida. Mesmo com algumas dificuldades enfrentadas no caminho, vale à pena escolher a bicicleta, pois ela é garantia de pontualidade. Enquanto os motoristas ficam presos no trânsito os ciclistas seguem seu percurso sem dores de cabeça.

Dica: Utilize todos os equipamentos de segurança e opte por rotas alternativas, que não resultem no tráfego dentro das grandes avenidas.

2. Corrida ou caminhada: A quinta-feira (22) pode ser o dia marcado para um treino diferenciado, a corrida matutina no trajeto entra a casa e o trabalho. Aqueles que não estão acostumados a correr podem caminhar pelo mesmo percurso. A cada 30 minutos de corrida são queimadas 310 calorias, a caminhada rápida também tem resultados muito positivos para o corpo, queimando 276 calorias. Além disso, essa é uma oportunidade para se distrair, ouvindo uma música ou simplesmente viajando nos pensamentos.

3. Patins e Skate: Os amantes dos esportes radicais podem aproveitar da adrenalina se locomovendo de maneira sustentável pela cidade. As pequenas rodinhas são capazes de percorrer longas distâncias, mas é essencial atentar à segurança. Portanto, a opção pelas rotas alternativas e o uso dos equipamentos de seguranças também são muito importante.

4. Transporte Coletivo: Quem anda todos os dias de carro pela cidade, quase não cogita a ideia de andar de ônibus, trens ou metrôs. No entanto, em muitos casos essas opções podem ser mais eficientes que os automóveis. Em São Paulo, por exemplo, parte das grandes avenidas possui corredores de ônibus, que fazem com que os trajetos sejam percorridos com maior rapidez quando a pessoa está embarcada em um coletivo. Os metrôs e trens também são eficientes para quem precisa se locomover com pontualidade. Além disso, não existe preocupação com a busca por vagas nas ruas ou despesas com estacionamentos.

5. Carona: Em alguns casos as alternativas apresentadas anteriormente podem não ser eficientes para quem percorre caminhos pouco acessíveis ao transporte público ou grandes distâncias. Para quem se encaixa nesta situação, uma saída é oferecer carona aos seus vizinhos, familiares ou colegas de trabalho. Isso reduz a quantidade de carros nas ruas e ainda possibilita maior interação com os amigos.

6. Home Office: Aos sedentários de plantão, que não gostam dos esportes e já sentem a fadiga somente em pensar no uso do transporte público, a sugestão é optarem pelo Home Office. Ao invés de se deslocar até o escritório ou empresa a pessoa pode simplesmente trabalhar no conforto de sua casa, aproveitando um dia sem o stress causado pelo trânsito. Quem sabe a alternativa não passe a fazer parte da rotina?

Fonte: CicloVivo

A gente precisa sempre rever os conceitos

 Acabei de ver um vídeo indicado pelo Marcelo Tas que, por sua vez, foi comentado por uma amiga no Facebook, essas coisas do mundo virtual em que vivemos e que consomem um tempo enorme da nossa vida, mas também proporcionam momentos muito legais. A grande questão da atualidade não é, com um Hamlet moderno, andar com uma caveira na mão se perguntando:  Estar ou não estar nas redes sociais? Reciclar ou comprar novo? Trabalhar muito e ganhar muito ou trabalhar pouco e ficar à margem do mundo do consumo? O Hamlet dos nossos dias não se contenta mais com uma única pergunta… O grande desafio é saber encontrar o equilíbrio entre mundo virtual e real, consumo consciente e inconsciente, comprar novo ou reciclar, trabalhar sem exagerar. Equilíbrio essa é a chave da questão, a pedra filosofal dos nossos tempos, o Graal do mundo moderno!
Portanto, abro um parênteses na minha rotina de postar dicas e passo a passo de artesanatos com materiais recicláveis para compartilhar esse vídeo. Ele me fez pensar.
Quando comecei achei que o enredo ia pelo caminho básico e maniqueísta da divisão do mundo em mocinhos e bandidos, certo e errado, já prevendo meu orgulho em perceber que eu estava no lado “certo” dessa via. Mas não! Surpreendentemente pra mim, a mensagem final foi “o melhor caminho é mesmo o do meio”.
Assista você também e tire suas conclusões. Elas até podem ser diferentes das minhas, não tem problema. Desde que a gente nunca perca a capacidade de se questionar, de rever posições ou até mesmo de manter posições, mas de maneira consciente e cheia de argumentos, tudo bem!
Aqui o vídeo, que encontrei no blog do Marcelo Tas (http://blogdotas.terra.com.br/).
==================
Juliana Vermelho Martins

Biojóias e Patchwork

Jóias e bijuterias – que mulher resiste a um par de brincos, um colar, pulseira ou anel? Compramos, damos de presente, ganhamos.. e usamos.

Uma marca de biojóias modernas é a JS Design Sustentável. São confeccionadas com papel de revistas, panfletos e jornais tirados das ruas. O resultado é incrível.. confira no post “design em papel viram lindas bio jóias”

Agora outra idéia para quem é criativo e gosta de “por a mão na massa”:

Você conhece o trabalho Patchwork? É um trabalho artesanal com retalhos de tecido. Técnica antiga, que continua na moda com diferentes estilos.. e no seu conceito básico é bem sustentável – já que usa retalhos, e não tecidos novos.

O que mais me encanta com o patchwork é a possiblidade infinita de criar novas texturas e cores, combinações que não precisam de regra nem conceito!

Já faz uns dois anos que ganhei de natal uma lembrancinha de uma amiga. Não era aquele patchwork que precisasse de habilidade na costura. Era uma simples pulseira, feita de retalhos. Gosto dela, é alegre e combina com várias cores de roupas.

Achei o vídeo, e descobri que passou no “Mais Você”. Então, pra quem não viu ainda, está aqui:

Abraços,

Carla Schartner

Evento Bacana – agende-se!

Tripé - Sustentabilidade

Descobri hoje sobre este encontro que acontecerá aqui em Curitiba e resolvi divulgar. Afinal, para conseguir concretizar alguma ação, é preciso se informar antes!

Encontro Internacional de Educação e Sustentabilidade, será realizado pelos Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE/FGV) e Conselho Latino-Americano de Escolas de Administração (CLADEA),  em Curitiba, nos dias 13 e 14 de setembro.

O evento reunirá instituições de ensino de diversos países para trocar experiências e boas práticas sobre seus esforços na formação de profissionais e pessoas engajadas com a sustentabilidade do planeta, capazes de liderar as transformações necessárias tanto na economia quanto na sociedade.

O Encontro é realizado em parceria com os Princípios Para Educação Empresarial Responsável da ONU (PRME), que desde 2007 norteiam a gestão de Escolas de Negócio que buscam oferecer uma educação executiva engajada com os valores da sustentabilidade.

E o melhor de tudo é gratuíto! Vale a pena participar, as vagas são limitadas.

Dúvidas e informações: eventos@isaebrasil.com.br ou (41) 3388-7817

Abraços

 

Carol Vermelho

Mensagem

Achei esta mensagem hoje na internet e tem tudo haver com o que pregamos aqui no vitrine verde! Para ler e pensar!

Até

Carol Vermelho

Ícone da Moda Sustentável

Numa vitrine verde não pode faltar o assunto moda e quando se fala em moda sustentável no Brasil me vem um único nome a cabeça: Chiara Gadaleta.

Chiara é a pessoa que conheço que mais luta para tornar popular a moda ecológica. Foi através do blog dela #SSE (Ser Sustentável com Estilo) que tive uma das primeiras inspirações para abrir a EcoChoice.

Hoje o #SSE virou instituto e a Chiara ajuda a reunir e divulgar as principais iniciativas brasileiras em moda sustentável.

Mas ninguém melhor do que a própria Chiara para contar um pouco sobre o trabalho que ela faz. Assista ao vídeo da entrevista que ela concedeu a Gazeta do Povo no PBC edição de Inverno/11, quando veio prestigiar o desfile da Joyful, e se apaixone você também por esta ideia.

Abraços

Carol Vermelho

Impressão sustentável

Hoje cheguei ao escritório e comecei a pensar em alguma notícia bacana para colocar aqui no blog, estava sem inspiração e não li nada interessantes nos canais que acompanho, estava frustrada e fiz este comentário em voz alta. Foi quando ganhei o dia, a Carla, que cuida da parte de design da EcoChoice, falou: “Olha, tenho um material que andei pesquisando e escrevi sobre a ECOFONT, quer ler?”

Adorei! Primeiro o assunto é extremamente relevante e de fácil aplicação, depois fiquei muito contente com a iniciativa. Portanto, hoje estreando como colunista no Vitrine Verde – Carla Schartner.

Boa Leitura!

Carol Vermelho

Economizar na tinta e no papel, além de ecológico, é também econômico. Uma sugestão facilmente aplicável é a utilização da Ecofont, uma fonte que economiza em torno de 50% de tinta na impressão. Suas letras são “vazadas”, mantendo o tamanho da letra e a legibilidade.

Outra fonte que comprovadamente utiliza menos tinta é a Century Gothic, fonte que normalmente todos têm no computador. Ela utiliza em torno de 30% a menos de tinta.

Para economizar, tanto no papel quanto na tinta, foi lançada uma impressora no Japão, chamada “PrePeat”, a Impressora Verde. Ela não utiliza papel nem tinta, além de gastar 2/3 a menos de energia.

Ela utiliza um papel feito de PET, que pode ser reutilizado até 1000 vezes, sem perder a qualidade. Além disso, o papel é a prova d’água! Na impressão, pigmentos no papel são ativados pelo calor. Depois, na reutilização, a impressora apaga a impressão antiga e reimprime o novo conteúdo.

Infelizmente ainda é difícil de adquiri-la, pois seu custo é muito alto.

Enquanto não tivermos acesso à PrePeat, podemos usar as fontes-eco, e economizar, pelo menos, na tinta!

Carla Schartner

CASA COR 2011, Vitrine de inovações e tecnologias sustentáveis

Passo em frente ao “canteiro de obras” da Casa Cor Paraná 2011 diariamente ao voltar do escritório e fiquei curiosa sobre a aplicação das tecnologias sustentáveis nos ambientes, afinal o evento consolidou-se como uma grande VITRINE de inovações e tecnologia.

Vamos ao resultado surpreendente e feliz da minha pesquisa (e notícia boa é sempre ótimo multiplicar…).

Com a meta de transformar a Casa Cor 2012 em referência mundial de sustentabilidade os grupos CASA COR E SustentaX uniram-se em 2009 com o objetivo de disseminar os conceitos e práticas sustentáveis para os profissionais envolvidos no projeto – arquitetos, paisagistas e decoradores.

O trabalho de conscientização realizado em 2009  focou, principalmente, na mudança do paradigma de que os materiais ecológicos imprimem ao ambiente uma atmosfera muito rústica.

Em 2010, o desafio foi disseminar e buscar a incorporação nos projetos de métricas para avaliação de sustentabilidade, reconhecidas internacionalmente.

Este ano, a SustentaX desenvolveu uma planilha

(http://www.selosustentax.com.br/pdf/casa-cor-2011.pdf)

que resume os parâmetros necessários na aplicação do conceito ecológico nos ambientes e ressalta a importância dos profissionais na disseminação de tecnologias sustentáveis em seus projetos, sempre inspiradores para o público.

Esta planilha também será utilizada pelo grupo de jurados que elegerão o ambiente mais sustentável. Outra iniciativa bem bacana.

Para o público, a CASA COR 2011 distribuirá um guia com dicas de sustentabilidade, elaboradas pela SustentaX, que podem ser utilizadas no dia-a-dia, no trabalho e também em casa (trarei para vocês estas dicas em um novo post, aguardem).

Por hora, vale parabenizar a iniciativa da Casa Cor e aguardar para visitar o evento em Curitiba e conferir de perto a aplicação dos conceitos.

Casa Cor Paraná 2011

10 de junho a 17 de julho

Rua Paulo Gorski, 1175 – Bairro Ecoville / Mossungue – Curitiba – PR

Estou ansiosa para conferir o evento  e dividir com vocês as novidades.

Um abraço,

Janete.

Turismo Sustentável

Hoje descobri uma agência de turismo diferente e muito interessante e resolvi compartilhar aqui no blog. A AOKA é uma agência de Eco-Turismo que se auto-denomina de agência de turismo sustentável, porque o nome “eco-turismo” acabou sendo deturpado no Brasil, e é usado para turismo de aventura ou qualquer tipo de turismo de natureza.

A proposta da Aoka é bastante inovadora e me atraiu principalmente pela veia social e por vender experiência de vida.

Vou transcrever aqui entre aspas um resumo que peguei do press kit deles, que dá mais noção de como funciona o trabalho da agência.

“AOKA desenha e operacionaliza viagens inusitadas em parceria com comunidades e ONGs locais, de reputação e atuação socioambiental. Estas comunidades atuam como embaixadores locais para aprofundar as relações entre visitantes, natureza e comunidades, garantindo o alinhamento de princípios e valores entre todos, assegurando o respeito mútuo e uma preocupação real com a sustentabilidade dos destinos e parceiros.

Com uma proposta ousada e sem precedentes, a empresa utiliza times multidisciplinares que combinam anfitriões (das comunidades locais), facilitadores e especialistas de diversas áreas (arqueólogos, antropólogos, biólogos), para conduzir as viagens de modo criativo. A sinergia dessas pessoas cria ambientes que potencializam a qualidade dos encontros. Cada viagem é cuidadosamente desenhada para ser uma experiência inesquecível.

Além da experiência individual, o modelo de negócio social da AOKA contribui com as ONGs e comunidades parceira através da inclusão social, gereção de renda e incentivo ao empreendedorismo de pequenos negócios relacionados ao turismo responsável, valorização da cultura local e troca de conhecimentos entre comunidades, visitantes e profissionais, visando solucionar problemas socioambientais locais.”

Alguns dos destinos oferecidos por eles são:

Uacari Lodge Reserva Mamirauá:

Mamirauá foi a primeira Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) implantada no Brasil. Situa-se na confluência entre os Rios Solimões e Japurá. Lá fica a maior floresta alagada do mundo, com uma biodiversidade impressionante, com mais de 400 espécies de aves, por exemplo.

Inserida dentro desse paraíso verde, apresentamos a Pousada Uacari que está ligada ao Programa de Ecoturismo do Instituto Mamirauá. Seu planejamento e desenvolvimento foi realizado ao longo dos 10 últimos anos pelas comunidades locais, pesquisadores e técnicos do Instituto. Tudo isso para encontrar a fórmula perfeita entre conforto e mínimo impacto.

Amazônia Cristalino Jungle Lodge

O Cristalino Jungle Lodge é um dos parceiros Aoka que selecionamos a dedo. Para quem quer conhecer e compreender um pouco o milagre da biodiversidade amazônica, aliando total conforto, infraestrutura impecável e a garantia da sustentabilidade, esta viagem é imperdível. O Cristalino tem o compromisso de fazer com que os visitantes tenham uma experiência única na floresta enquanto aprendem sobre o meio ambiente e sua importância para nossas vidas diárias. Os guias são amantes da natureza que dividem seu conhecimento e respeito pela Amazônia. O lodge foi construído em harmonia com a floresta que o envolve. Oferece acomodações que utilizam práticas sustentáveis e, as pequenas proporções do lodge, garantem aos visitantes uma atenção sem precedentes. Além do turismo responsável, o lodge também tem uma importante função de conservação ambiental – através da preservação da Reserva Particular do Patrimônio Nacional – e uma função social – através de diversas ações de educação ambiental que realiza na região.

Confira mais destinos no site: www.aoka.com.br

No site da AOKA, tem também os comentários de quem já viajou com eles:

““Navegando pelo Rio Negro fizemos uma roda de conversa onde cada um se apresentava, inclusive nosso anfitrião local. Samuel é índio, da etnia Baré. Nasceu numa tribo isolada, próxima da fronteira com Venezuela. Contou-nos brevemente sua decepção com o turismo… E que aceitou conduzir nosso grupo quando conheceu o propósito da Expedição Aoka, de conhecer a Floresta de perto, através do contato com moradores e experimentando situações dos que vivem lá” ”
Tayla Monteiro na Expedição Fluvial Aoka TEDxAmazônia, Novembro/2010

Fique muito inspirado com o trabalho deles e morrendo de vontade para tirar uma férias e experimentar este novo modelo de turismo. Tenho certeza que irão transformar ainda mais o meu jeito de ver o mundo.

Abraços

Carol Vermelho

%d bloggers like this: